quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Perdidos em Times Square . vídeo de arte

Veja o vídeo do Perdidos em Times Square. Meus trabalhos estão lá:https://www.youtube.com/watch?v=R0lM689TmI0&feature=youtu.be&hd=1

Creia

Poema de minha autoria . Creia .http://www.divulgaescritor.com/products/creia-por-mauricio-duarte/

Justino

Justino

A relação da cristandade com a filosofia pagã é mais distintamente traçada nos escritos do pais cristãos, especialmente naqueles que foram educados onde a filosofia floresceu. O primeiro desses é Santo Justino, que defendeu a cristandade contra os judeus e os pagãos. Ele tinha sido um filósofo e, para ele, a cristandade era uma nova filosofia ou, ainda, a consumação de toda filosofia. Ele dizia que todos os homens eram participantes em Cristo porque ele era o “próprio Logos ou a razão universal”. Sobre isso, ele dizia que todos os que vivem pela razão são, em algum nível, cristãos. Entre os gregos, foram Sócrates, Héraclito e outros como eles. Aqueles que vivem contra a razão são descritos como não-cristãos e como inimigos do Logos, enquanto todos os cristãos fazem da razão a regra das suas ações. Deus, com Justino, era um Ser Absoluto que não podia revelar a si próprio exceto pela mediação do outro. Ele está acima de todo nome ou título e apenas se torna objeto do pensamento ou discurso no Logos, que foi criado antes da criação e através da qual a criação foi efetivada. Justino usou a palavra criado, mas isso é equivalente a gerado ou causado a produzir por si mesmo. O Logos é também chamado um poder racional e pensamento criado como o meio da criação, ele parece assumir que o Logos sempre esteve imanente em Deus. Ele tornou-se encarnado em Jesus Cristo, mas em todos os homens há um germe ou esperma do Logos através da participação em Cristo. Justino foi o primeiro dos pais que usou oi termo Logos no sentido de ser a razão divina. Até aqui era simplesmente a palavra criativa. A semente da razão está em todos os homens, mas o todo da razão está em Jesus Cristo. A alma do homem tem uma natural e essencial relação com o Logos. Mas Jesus está no Logos, a razão primal ela mesma; então a cristandade é uma filosofia divina.

Livre tradução do livro Pantheism and Christianity de John Hunt, 1884 . Capítulo VI . A Igreja . Justino

Passa a barcaça, passa o tempo

Passa a barcaça, passa o tempo

Lenta, a barcaça vai,
o tempo também
vai com a embarcação
e diz: já é hora.

Já é hora de voltar
ao cais de origem.
O tempo já deu
o nó em pingo d´água.

A barcaça ouve e não ouve,
faz um gracejo
e parte,
sem dar bola...

Não quer voltar,
quer a aventura,
quer a viagem.
Ainda se acha jovem.

Mas os anos já dobraram
a barcaça e logo voltará
porque não há tempo
que não passe...

(Poema em homenagem ao ”barcaça”, meu pai, João Duarte Pinheiro)

Mauricio Duarte 

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Flores à esperança

Visite o Caderno Literário Pragmatha no. 4 e leia o poema Flores à esperança de minha autoria 
Flores à esperança
Aqui jaz esperança
A lápide dizia:
Aqui jaz esperança,
nunca morreu, também
não viveu e aliança
também não fez, que será
de nós agora, amém?
Pode viver sem ela?
Melhor nem pensar nisso,
afinal tanto o ver
quanto o não ver disso,
depende dela, não é?
Sim, é isso, há que ser...
A lápide dizia:
Revolveu profundezas,
assim pôde consolar
e ajudar dezenas
mas ao seu próprio
fim não pôde escapar.
Aqui jaz esperança.
Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014